terça-feira, 16 de maio de 2006

Onde se Morre...



EUA enviou soldados, com problemas mentais, para a guerra

Segundo o jornal "The Hartford Courant", do Estado de Connecticut, os Estados Unidos enviaram para o Iraque, e mantiveram em combate, soldados com problemas psicológicos graves, mesmo com os comandantes militares sabendo da doença deles.

A mesma publicação cita declarações de familiares de soldados e de pessoal das Forças Armadas, que mostram que os comandantes militares americanos não cumpriram as suas próprias normas no que a este assunto diz respeito. Apesar de o Congresso ter ordenado em 1997 a avaliação mental de todos os militares enviados para a zona de combate, até Outubro de 2005, só um em cada 300 tinha visitado um especialista antes de iniciar a sua missão no Iraque.
Esta notícia vinda de
onde vem, já não nos surpreende sobremaneira. Já vamos ficando habituados a estas “preciosidades”, desde que Bush tomou posse. Ninguém ficará indiferente a esta notícia. Talvez por isso se perceba porque é que, só no ano passado, 22 soldados americanos se suicidaram no Iraque. Se juntarmos a estes números o facto de alguns dos soldados que se suicidaram em 2004 e em 2005, terem sido mantidos no activo apesar de demonstrarem claros sinais de problemas mentais ou de terem sido tratados com anti-depressivos antes de terem sua saúde avaliada, mais abismados ficamos.

Será que nos E.U.A. a inteligência se mede por atitudes tão descabidas – dignas de países terceiro-mundistas – como esta que o “The Hartford Courant” nos descreve?

2 comentários:

Rui Teixeira disse...

Boas;

Eu hoje ouvi uma que diz tudo:

"Errar é humano;
Repetir o erro é Americano"

Está tudo dito.

Um abraço

RT

Amaral disse...

tens razão estes americanos são peritos em errar. Melhor em cair duas vezes no mesmo erro