sexta-feira, 14 de setembro de 2007

"Já Bocage não sou..."

Manuel Maria de Barbosa Du Bocage nasceu em Setúbal, a 15 de Setembro de 1765 veio a falecer (devido a um aneurisma) em Lisboa, a 21 de Dezembro de 1805. Bocage foi um dos maiores poetas portugueses e, muito provavelmente, o maior representante do arcadismo lusitano. Boa parte da sua vida permanece um mistério. Bocage era uma “figura” polémica. As suas poesias satíricas e eróticas são disso exemplo. Aqui deixo o soneto “É pau, e rei dos paus, não marmeleiro”:
É pau, e rei dos paus, não marmeleiro,
Bem que duas gamboas lhe lobrigo;

Dá leite, sem ser árvore de figo,

Da glande o fruto tem, sem ser sobreiro:
Verga, e não quebra, como zambujeiro;
Oco, qual sabugueiro tem o umbigo;

Brando às vezes, qual vime, está consigo;

Outras vezes mais rijo que um pinheiro:
À roda da raiz produz carqueja:
Todo o resto do tronco é calvo e nu;

Nem cedro, nem pau-santo mais negreja!
Para carvalho ser falta-lhe um U;
Adivinhem agora que pau seja,

E quem adivinhar meta-o no cu.


(José Amaral)

10 comentários:

david santos disse...

Olá, Amaral! Obrigado por me teres corrigido o erro. Pois é o pretérito perfeito do indicativo e não como estava. Mas o meu neto, que foi quem fez aquele trabalho, tem a mania... Obrigado.
Quanto à pergunta que te fiz é o Bandarra. Gonçalo Enes Bandara, sapateiro e poeta popular português. Nasceu em Trancoso, aí no Distrito de Viseu.
Perseguido pelo Santo Ofício, foi exposto a cadafalso, durante o auto-de-fé de 1541, e aí leu uma retractação do que escrevera, escapando, só assim, à fogueira inquisitorial.
Por isso, para além de Grão Vasco, Viseu tem outros grandes nomes.
Parabéns e muito obrigado.
Tem um bom fim-de-semana

Amaral disse...

David
Obrigado pela informação. Não chegaria lá, porque Trancoso é do distrito da Guarda (talvez o David tenha feito uma pequena confusão).
Conheço, claro que sim, o célebre Bandarra.
Sim Viseu tem tido muitos ilustres.
Apesar de tudo, muito obrigado e um bom fim-de-semana.
Abraço

Odele Souza disse...

Bom dia Amaral,
Esse Bocage hein!
Devo dizer que Bocage nunca fez parte de meus autores preferidos, mas não se pode negar sua importância na literatura portuguêsa e mundial.
Um abraço e bom fim de semana.

Meg disse...

Caro Amaral
Este é o Bocage de que menos gosto.
Claro que é por poemas como este que é mais recordado. Mas bocage foi muito mais que isto.
Mas esse tem outro Bocage tem ficado, quem sabe se propositadamente, na sombra, e não tem tido a divulgação que mereceria.
Um abraço

Amaral disse...

Odele
Acredite que é pena não fazer parte da sua lista de favoritos. Eu publiquei aqui um poema erótico-satírico, mas Bocage é muito mais que este "malandreco" que viu aqui.
Bom fim-de-semana
Bjo

Amaral disse...

Meg
Não concordo de todo com a sua análise,mas respeito-a. Bocage é lembrado pela sua poesia num todo e a parte satírico-erótica até é a menos explorada.
Há, talvez, quem a explore mais, mas a nível escolar e de divulgação literária Bocage aparece sob a forma menos polémica.
Abraço

Meg disse...

Tem razão, meu caro amigo
Ah... mas eu estava a falar no conhecimento popular.
Sim, eu sei que nas escolas é diferente, valha-nos isso.
Tem toda a razão

Amaral disse...

Meg
Não lhe retiro de todo a razão, porque sem dúvida a nível popular Bocage é conhecido mais por ser atrevido.
Porém, no geral eu acho que Bocage sendo da craveira que é, é muito mal conhecido. Até nas escolas está um pouco em desuso.
Abraço

al cardoso disse...

LOLOLOLOLOLOLO.....LOLOLOLOLO.

So mesmo do Bocage!!!

Um abraco do d'Algodres.

Amaral disse...

Al Cardoso
Bocage não engana, é como o algodão.
Abraço