quinta-feira, 6 de setembro de 2007

Calou-se a Voz


O mundo, hoje, ficou mais pobre. Morreu Luciano Pavarotti, 71 anos. Pavarotti nasceu em Modena (12OUT1935) em Itália e foi na sua terra natal que faleceu em consequência de um cancro no pâncreas.

A notícia da sua morte espalhou-se rapidamente pelo mundo e deixou consternados muitos amantes da sua voz. Este cantor lírico (tenor) foi apontado como o maior tenor do mundo depois da morte de Caruso.

Pavarotti tirou o curso de professor, mas decidiu-se enveredar pelo mundo do canto lírico. Era mundialmente conhecido, não só pela sua voz, mas também pelo seu empenho em várias causas humanitárias. Ficaram célebres os seus concertos com fins de beneficência. Célebres, igualmente, ficaram os seus momentos com dois outros grandes tenores: José Carreras e Plácido Domingo (os três tenores). Também ficou célebre o lenço branco com que subia aos palcos.

Como curiosidade diga-se que Pavarotti tem duas entradas no livro do Guinness: o maior número de chamadas ao palco — 165 — e o álbum de música clássica mais vendido de sempre (In Concert de Os Três Tenores).


(José Amaral)

19 comentários:

Paulo Sempre disse...

Mais um HOMEM grande em quem a morte não terá poder.
Como Pavarotti, também Amália Rodrigues e tantos outros...ficarão incritos nos didames de uma certa "alma Universal" e, as gerações do futuro, hão-de ouvir sempre a sinfonia que traziam na voz.

PS: Obrigado pela visita. Só agora é que o post foi corrigido. Pode voltar a le -lo..
Abraço

Amaral disse...

Paulo
Pavarotti vai, mas a sua obra fica. E, ainda bem.
Abraço

Entre linhas... disse...

Calou-se fisicamente uma das maiores vozes da ópera,mas permanece viva espiritualmente.
Bjs Zita

Amaral disse...

Zita
Ainda bem que assim é, pois a sua voz não deixava ninguém indiferente.
Bjo

Isabel-F. disse...

uma voz que ficará para SEMPRE e que nunca morrerá ...

adorava ouvi-lo ...

beijinhos e tem um bom fim de semana

Meg disse...

Pavarotti, como muitos outros, não morrerá jamais na memória das gentes. Porque a memória é o que distingue a imortalidade dos génios.
Um abraço

Amaral disse...

Isabel
Mesmo para aqueles que não gostam de ópera, com Pavarotti era possível que lhe dessem o benefício da dúvida.
Também gostava de ouvi-lo.
Bom fim-de-semana
Bjo

Amaral disse...

Meg
Bem observado... a imortalidade dos génios.
Bom fim-de-semana
Abraço

Odele Souza disse...

Amaral,
Sou Odele, amiga de Isabel e mãe de Flavia. Obrigada por seu simpático comentário lá no blog de Isabel, sobre o post que ela fez hoje com minha foto e de meus filhos.

Costumo ler os comentários deixados nos blogs que visito e sempre me divirto com suas observações "picantes" sobre as belas mulheres dos posts de Isabel.
Você é uma simpatia.

Quanto ao seu blog que eu não conhecia, gostei muito. E quanto à morte de Pavarotti, é mesmo uma pena. Vou sentir saudades dele.
Um abraço.

Amaral disse...

Odele
Até me senti a corar com tantos elogios (quase tão picantes como os meus comentários lol).
Obrigado, mas simpática é a Odele. Visitei o seu blog, também, embora não tenha deixado nenhum comentário. A Odele é uma verdadeira mãe-coragem. Inclui-la-ei nas minhas preces.
Bom fim-de-semana
Bjo

jguerra disse...

Olá Amaral, cruzo-me contigo no blog da mel pela primeira vez e fiquei curioso... vim visitar e gostei e muito.
Temos pelo menos uma coisa em comum... o curso (LOL) que hoje em dia não val de muito para além de um diploma que custa bem caro e dores de cabeça sem fim!
Pavarotti tinha boa voz e aproveitou-a, ainda bem que não foi professor. Não porque podia ser mau profissional, claro. Mas porque através dele ouvi canto, ouvi ópera... e com que voz meu Deus.
Um abraço.

Amaral disse...

J Guerra
Fico contente por ter gostado do meu blog. Já fui espreitar os seus, com mais tempo lá voltarei.
Espero que o curso lhe sirva. Eu sou QZP e de momento estou à espera de horário.
Pavarotti... não há palavras.
BOm fim-de-semana
Abraço

CMatos disse...

Foi sem dúvida um grande impulsionador da ópera "moderna".
De certo modo, hoje todos nós olhamos para a ópera de uma maneira diferente... à Pavarotti!

Abraço e Bom fim de semana.

Amaral disse...

Matos
Tens toda a razão. A ópera é vista com outros olhos.
Utilizando palavras tuas do "stress pós férias" eu digo a "ópera pós Pavarotti".
Bom fim-de-semana
Abraço

Barão Van Blogh disse...

Sou novo nestas lides ...

Aqui deixo o convite para que visitem o meu espaço .

"Ao lado de fortes cavaleiros eu seguia
Terras de mil cores nós ia-mos conquistar"

Bom fim de semana .

Amaral disse...

Barão van blogh
Já fui espreitar o seu "feudo", mas foi de fugida.
Voltarei!
Bom fim-de-semana

joão oliveira disse...

ola Amaral.
Partiu mas deixa-nos a voz.

Amaral disse...

João
Ainda bem, pois assim sempe vamos matando a saudade.
Bom fim-de-semana
Abraço

In2MySoul disse...

...para sempre ficará
...UNA FURTIVA LAGRIMA...