sábado, 13 de setembro de 2008


Respiro o teu corpo

Respiro o teu corpo:
sabe a lua-de-água
ao amanhecer,
sabe a cal molhada,
sabe a luz mordida,
sabe a brisa nua,
ao sangue dos rios,
sabe a rosa louca,
ao cair da noite
sabe a pedra amarga,
sabe à minha boca.

(Eugénio de Andrade)

6 comentários:

Delfim peixoto disse...

dos melhores que eu lhe li...
Abraço

Amaral disse...

Delfim
Eugénio tinha o dom de saber fazer Poesia. Boa Poesia.
Bom fim-de-semana
Abraço

Deusa Odoyá disse...

Amigo, é tão bom termos alguem, em quem possamos repousar nossos corpos.
Muito lindo esse poema.
Não conhece esse autor, mas parabéns.
Mando uma poesia para vc.


A PARTIR DE HOJE.


A PARTIR DE HOJE,
OLHAREI AS COISAS COM AMOR E RENASCEREI...
AMAREI O SOL, POIS AQUECE MEU CORPO ...
NO ENTANTO, AMAREI A CHUVA, POIS PURIFICA O MEU ESPÍRITO...
AMAREI A LUZ, POIS ME MOSTRA O CAMINHO...
AMAREI TAMBÉM ESCURIDÃO, POIS ME FEZ VER ESTRELAS...

RECEBEREI A FELICIDADE, QUE ENGRANDECE MEU CORAÇÃO, MAS TOLERAREI AS TRISTEZAS,POIS ABRE MINHA ALMA...
RECEBEREI AS RECOMPENSAS, POIS ELAS ME PERTENCEM, MAS TAMBÉM ACEITAREI DE BOM GRADO OS OBSTÁCULOS, POIS ELES SÃO OS MEUS DESAFIOS...
A PARTIR DE HOJE, OLHAREI AS COISAS COM AMOR E RENASCEREI...

TE DESEJO UMA SEMANA COM MUITA PAZ E AMOR.
BEIJOS DA AMIGA.

REGINA COELI.

Amaral disse...

Regina
Muito obrigado pelo poema. Gostei.
Bjo

al cardoso disse...

O poema e lindo e a fotografia nem lhe digo nada!

Um abraco dalgodrense.

Amaral disse...

Al Cardoso
Concordo consigo.
Abraço