quarta-feira, 2 de abril de 2008

Um Papa Santo ou um Santo Papa?

João Paulo II (cujo nome de baptismo era Karol Józef Wojtyła) nasceu em Wadowice, Polónia, a 18 de Maio de 1920 e faleceu no Vaticano, 2 de Abril de 2005 (vítima da doença de Parkinson). Este Papa sucedeu a João Paulo I (16 de Outubro de 1978), tornando-se o primeiro Papa não-italiano em 455 anos e o mais novo Papa desde Pio IX. O seu pontificado foi o terceiro mais longo, com 26 anos.
Ao longo da sua vida Karol sofreu vários dissabores. Em 1929, perdeu a mãe Emília, vítima de doença nos rins. Em 1931, foi a vez do irmão morrer, vítima de escarlatina. Antes de completar 22 anos, Karol perdeu o pai. Além disso, durante a Segunda Guerra Mundial assistiu ao assassinato de vários dos seus amigos e colegas.
Karol tinha um grande fascínio pelo teatro e pela literatura, além de ser um atleta (chegou a actuar como guarda-redes de futebol numa equipa amadora de Wadowice). Ao longo do seu pontificado o Papa João Paulo II fez inúmeras viagens (esteve em Portugal por cinco vezes; numa delas 1981 foi vítima de um atentado), procedeu a numerosas beatificações e canonizações e escreveu 14 encíclicas.
No dia 13 de Maio de 2005, Bento XVI, seu sucessor, fez uma excepção à regra do Código de Direito Canónico em relação à beatificação de João Paulo II. O seu processo de beatificação foi aberto em 28 de Junho do mesmo ano.
Sempre nutri uma grande estima e admiração por João Paulo II que sabia motivar multidões e cativar os jovens. Foi um exemplo de sabedoria, de bondade, de sofrimento e de grande humanismo.

(José Amaral)

10 comentários:

Meg disse...

Meu caro amigo,

Para mim foi um Papa Santo e um Santo Papa.
Tão cedo não haverá outro, tenho a certeza.

Um abraço


PS.tenho andado um pouco menos assídua mas isto está quase a passar

Amaral disse...

Meg
Para mim também. Não faço das pessoas ídolos, mas modelos e João Paulo II para mim foi-o.

Quanto à assiduidade não se preocupe.
Bom fim-de-semana
Abraço

Entre linhas... disse...

Foi sem dúvida este o Papa que fez o maior levantamento de fé esperança nos quatro cantos do mundo,mesmo correndo alguns riscos e a sua debilidade física não o conseguiram desmoronar..foi um PEREGRINO DE DEUS.
Bom fim de semana amigo
Bjs Zita

Amaral disse...

Zita
Concordo plenamente consigo. Foi um peregrino de Deus. Um sofredor. Um exemplo.
Bom fim-de-semana
Bjo

Meg disse...

Hoje já estou com pilhas novas e vim dar uma espreitada e encontro aqui a Zita. Parece que estamos todos de acordo

Um bom fim de semana e um abraço

JPCLEMENTE disse...

J. Joaquim:
Este será um Papa que nunca se esquecerá, pois esteve sempre junto dos mais fracos. Uma Papa do Povo e não de elites.
Um óptimo fim de semana

Amaral disse...

Meg
Por vezes há destas coincidências. Neste caso (do Papa João Paulo II) acho que é consensual.
Bom fim-de-semana
Abraço

Amaral disse...

João Paulo
Depois do teu comentário... palavras para quê?
Bom fim-de-semana
Abraço

A. João Soares disse...

Amaral,
Nada mais se pode dizer, depois de papa santo, santo papa, peregrino de Deus. Missionário sem fronteiras, foi amado por todos e um modelo de sabedoria e de virtudes. Não é fácil aparecer outro com ele.
Abraço
A. João Soares

Amaral disse...

João
É evidente que não há pessoas insubstituíveis,mas este Papa parece sê-lo.
Boa semana
Abraço