sábado, 5 de abril de 2008

Vale a pena ver e... rever!

Fui ver o filme Nunca é Tarde Demais (da Warner Bros. Pictures numa produção da Zadan Meron/Reiner Greisman). O elenco já deixava antever tratar-se de um filme muito bom, daqueles que temos a certeza serem mesmo bons. E foi-o! Com dois nomes consagrados do cinema, Jack Nicholson e Morgan Freeman (dão um “show” de interpretação), este filme torna-se um hino à amizade.
Jack Nicholson é Edward Cole, um multi-milionário, e Morgan Freeman é Carter Chambers, um mecânico. Como podemos ver vivem em mundos muito diferentes.
Por obra e graça do destino, ou talvez não, ambos se cruzam num quarto de hospital (com doenças terminais) e descobrem que têm duas coisas em comum: um desejo de gastar o tempo que lhes resta a fazer tudo aquilo que sempre desejaram e uma necessidade inconsciente de se aceitar tal como são. A partir daqui, embarcam numa viagem que tem por objectivo eliminar uma lista (lista do bota-abaixo) de coisas que gostariam de fazer antes de morrer. Contra as ordens dos médicos, Edward e Carter embarcam numa viagem que os leva do Taj Mahal aos melhores restaurantes e a um sórdido salão de tatuagens. À medida que riscam pontos, descobrem que nunca é tarde para aproveitar a vida ao máximo.
Com este filme viajamos por locais maravilhosos, rimos às gargalhadas, transportamo-nos para um mundo de sonho.
Este hino à amizade revela-nos que nunca é tarde para se fazerem amigos, que nunca é tarde procurar a felicidade e que nunca é tarde viver a vida intensamente e até ao fim. Mais, nunca é tarde para ajudar quem precisa…

(José Amaral)

5 comentários:

Zololkis disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
A. João Soares disse...

Amaral,
Todo o post é sabiamente sintetizado na pequena frase de alto significado NUNCA É TARDE. Realmente, nunca é tarde para nada que valha a pena, que a gente goste, aprecie e deseje. Viver a vida atá ao último segundo. Saborear o doce até à última lambidela do pires. Mesmo que pareça ridículo, como deixa perceber a palavra «lambidela» do pires.
Um abraço
A. João Soares

Amaral disse...

João
Como diz o poeta "o sonho comanda a vida...". Essa é a máxima que nos deve fazer girar. Parar é morrer, desistir é fraquejar...
Boa semana
Abraço

aDesenhar disse...

fica o registo.
se tu aconselhas
lá vou eu espreitar os cartazes.
:-)
abraço

Amaral disse...

Como dizia um meu professor "gostos discutem-se, mas não se impoem". Contudo, este é um daqueles filmes que queremos ver nem que seja pelo elenco. Neste caso vale pelo elenco, pela história e pelo filme no seu todo.
Abraço