domingo, 13 de julho de 2008

"Poemágua"


Lição sobre a água

Este líquido é água.
Quando pura
é inodora, insípida e incolor.
Reduzida a vapor,
sob tensão e a alta temperatura,
move os êmbolos das máquinas que, por isso,
se denominam máquinas de vapor.

É um bom dissolvente.
Embora com excepções mas de um modo geral,
dissolve tudo bem, ácidos, base e sais.
Congela a zero graus centesimais
e ferve a 100, quando à pressão normal.

Foi neste líquido que numa noite cálida de Verão,
sob um luar gomoso e branco de camélia,
apareceu a boiar o cadáver de Ofélia
com um nenúfar na mão.

(António Gedeão)

4 comentários:

zeca gallo disse...

Muito poucos poderiam falar da importância da água de uma forma tão fenomenal. Não fora ele Rómulo de Carvalho, o POETA, o Professor de Física e Química, O HOMEM.
Abraço

Amaral disse...

Zeca
Estou inteiramente de acordo consigo.
Boa semana
Abraço

Isabel-F. disse...

é maravilhoso o poema ...


não conhecia.


beijinhos

Amaral disse...

Isabel
Ainda bem que gostaste.
Bjo