terça-feira, 1 de julho de 2008

«Colheita de Excelência»

O dia 2 de Julho foi profícuo no que às “Letras” se refere. Neste dia viram a luz do dia nomes sonantes da Literatura Mundial, mas também alguns disseram adeus ao mundo dos mortais. Aqui ficam alguns desses importantes símbolos.

Hermann Hesse nasceu na
Alemanha, em 2 de Julho de 1877 e faleceu na Suíça, a 9 de Agosto de 1962.
Procurou construir sua própria
filosofia, a partir de sua revolta pessoal e de sua interpretação pessoal das correntes filosóficas do Oriente e em especial em "O Lobo da Estepe" (1927), que é também uma crítica contra o militarismo vigente na sua terra natal depois da Primeira Guerra Mundial. Em 1946 ganhou o Prémio Nobel de Literatura.

Zélia Gattai nasceu em
São Paulo, em 2 de Julho de 1916 e faleceu em Salvador, a 17 de Maio de 2008. Conhecida como escritora, fotógrafa e memorialista ficou, igualmente, conhecida por ter sido casada (cinquenta e seis anos) casada com Jorge Amado.


Ernest Hemingway nasceu em Illinois, a 21 de Julho 1899 e faleceu em Idaho, a 2 de Julho 1961. Este escritor trabalhou como correspondente de guerra em Madrid durante a Guerra Civil Espanhola e a experiência inspirou uma de suas maiores obras, "Por Quem os Sinos Dobram". Ao fim da Segunda Guerra Mundial se instalou em Cuba. A sua vida foi muito turbulenta; casou quatro vezes, além de vários relacionamentos românticos. Em 1952 publica "O Velho e o Mar" ( considerada a sua obra-prima), com o qual ganhou o prémio Pulitzer (1953) e em 1954 recebeu o prémio Nobel de Literatura.

Vladimir Nabokov nasceu em
São Petersburgo, a 22 de Abril de 1899 e faleceu em Montreux, Suíça, a 2 de Julho de 1977. Entre muitas obras célebre ficou o seu polémico romance, datado de 1955, “Lolita”.

Sophia de Mello Breyner Andresen nasceu no
Porto, a 6 de Novembro de 1919 e faleceu em Lisboa, a 2 de Julho de 2004. Foi provavelmente a maior poetisa portuguesa do século XX. Foi a primeira mulher portuguesa a receber o mais importante galardão literário da Língua Portuguesa, o Prémio Camões, em 1999. Em 2003 foi distinguida com o Prémio Rainha Sofia.
Na Poesia Sophia destacou-se, mas também se distinguiu como contista deixando-nos o maravilhoso "
Contos Exemplares". Da sua extensa produção infantil destacam-se: "A Menina do Mar", "O Cavaleiro da Dinamarca", "A Floresta", "O Rapaz de Bronze", "A Fada Oriana"...

(José Amaral)

9 comentários:

JPCLEMENTE disse...

Obrigado pela informações, amigo J. Joaquim.
Um abraço amigo

Carla disse...

uma colheita Vintage certamente...belo e atento este teu post

Amaral disse...

João Paulo
Não tens de agradecer.
Abraço

Amaral disse...

Carla
É sem dúvida Vintage esta colheita. Obrigado.
Bjo

meg disse...

Meu amigo
Só para agradecer as visitas e dar aquele abraço. Sei que entendes.
Um grande abraço mesmo

Amaral disse...

Meg
Claro que entendo... a vida é mesmo assim. Bom trabalho.
Abraço

Isabel-F. disse...

que interessante a tua pesquisa Amaral ... adorei ...

sabes ... gosto de coisas "diferentes" e adorei a tua ideia. parabéns.


beijinhos e bom fim de semana

Amaral disse...

Isabel
Fiquei contente por teres gostado deste post.
Bom fim-de-semana
Bjo

Deusa Odoyá disse...

Oi meu estimado amigo Amaral.
um lindo Post.
que os anjos possam dizer amém, a tudo que escrevas.
fique nessa doce paz.
Voltarei sempre.
Beijos.
Regia Coeli.