terça-feira, 4 de julho de 2006

Expressões estrangeiras











Com o aproximar da Férias, alguns já as gozam, são sempre úteis algumas expressões. Aqui ficam:

“abyssus abyssum invocat” (o abismo atrai o abismo).

“ad augusta per angusta” (a lugares elevados por veredas apertadas).

“à l’oeuvre on connaît l’artisan” ( pela obra se conhece o artista).

“alea jacta est” (a sorte está lançada).

“amicum perdere est damnorum maximum” (perder um amigo é o maior dos prejuízos).

“audaces fortuna juvat” (a fortuna favorece os audazes).

“bona est lex si quis ea legitime utatur” (boa é a lei se se usar dela legitimamente).

“bonum vinum laetificat cor hominis” (o bom vinho alegra o coração do homem).

“carpe diem” (aproveita o dia).

“catigat ridendo mores” (corrige os vícios, ridicularizando-os).

“cogito, ergo sum” (penso, logo existo).

“de mortuis nihil nisi bonum” (dos mortos não faleis senão bem).

“docendo, discitur” (ensinando, aprende-se).

“dura lex, sed lex” (é dura a lei, mas é a lei).

“errando, corrigitur error” (errando, corrige-se o erro).

“errare humanum est” (errar é humano).

“ex ore parvulorum veritas” (da boca das crianças sai a verdade).

“fata la legge, pensata la malizia” (feita a lei, pensada a malícia).

“firmum in vita nihil” (nada é firme na vida).

“gloriae et virtutis invidia est comes” (a inveja acompanha sempre a glória e a virtude).

“heredis fletus sub persona risus est” (as lágrimas de um herdeiro são riso disfarçado).

“hoc opus hic labor est” (aqui é que está o trabalho).

“ignorantia differt ab errore” (a ignorância difere do erro).

“in hoc signo vinces” (com este sinal vencerás).

“intelligenti pauca” (para um inteligente poucas palavras).

“in vino veritas” (no vinho está a verdade).

“labor omnia vincit improbus” (um trabalho incessante vence todas as dificuldades).

“lana caprina” (lã de cabra).

“lapsus linguae” (lapso de língua).

“le coeur a ses raisons, que la raison ne connaît point” (o coração tem razões que a razão desconhece).

“le roi est mort, vive le roi” (o rei morreu, viva o rei).

“lex injusta non est lex” (a lei injusta não é lei).

“magister dixit” (o mestre disse).

“mea culpa” (por minha culpa).

“memento homo, quia pulvis es et in pulverem reverteris” (lembra-te, homem, de que és pó e em pó te hás-de tornar).

“nascuntur poetae, fiunt oratores” (os poetas nascem, os oradores fazem-se).

“nescit vox missa reverti” (palavra proferida não volta atrás).

“no hai zorra con dos rabos” (não há raposa com dois rabos).

“non in solo pane vivit homo” (nem só de pão vive o homem).

“omnia vincit amor” (o amor vence tudo).

“piano, piano, se va lontano” (devagar se vai ao longe).

“post scriptum” (escrito depois).

“primum vivere, deinde philosophari” (primeiro viver, em seguida filosofar).

“primus inter pares” (o primeiro entre os iguais).

“quantum satis” (quanto baste).

“qui bene amat bene castigat” (quem bem ama bem castiga).

“qui nihil debet non timet” (quem não deve não teme).

“rira bien qui rira le dernier” (rirá melhor quem rir no fim).

“sapiens filius laetificat patrem” (o filho prudente é a alegria do pai).

“sic transit gloria mundi” (assim passa a glória do mundo).

“si vis pacem, para bellum” (se queres a paz, prepara a guerra).

“sursum corda!” (corações ao alto).

“tempus est Optimus judex rerum omnium” (o tempo é o melhor juiz de todas as coisas).

“time is money” (o tempo é dinheiro).

“to be or not to be” (ser ou não ser).

“ubi veritas?” (onde está a verdade).

“vae victis” (ai dos vencidos).

“vanitas vanitatum et omnia vanitas” (vaidade das vaidades e tudo é vaidade).

“veni, vidi, vici” (cheguei, vi e venci).

“victis honor” (honra aos vencidos).

“vox populi, vox Dei” (voz do povo, voz de Deus ).

1 comentário:

Bfly disse...

Expressóes pinceladas de mensagens que nos provocam e nos despertam para o que melhor há na vida "carpe diem";"dar tempo ao tempo"," o amor tem razões que a própria razão desconhece".Vi as expressões como um colar de pérolas ou simplesmente um belo poema que nos indica várias possibilidades de escolha para seguir o melhor caminho.Já um escritor alemão disse no final do seu livro Morte em Roma:levanta-te e caminha pois não partiste nenhum osso!".