quinta-feira, 28 de fevereiro de 2008

Leituras

Acabei de reler o livro Sonetos de Luís de Camões (da Planeta DeAgostini, 197 pág.) numa edição coordenada por Vasco Graça Moura.
Quase todos os dados biográficos de Camões têm um carácter incerto, dada a quase inexistência de documentos. Assim, e no que respeita aos sonetos, também não há um número certo dos sonetos que são atribuídos a Camões. Muitos são os estudos e em muito diferem as opiniões.
Ao falarmos de Sonetos estamos a falar de uma forma poética constituída por catorze versos (soneto clássico) decassílabos, de origem italiana. O soneto clássico compõe-se de quatro estrofes (duas quadras e dois tercetos).
Camões soube cultivar esta forma de modo notável. Aqui fica um exemplo.


Alegres campos, verdes arvoredos,
Claras e frescas águas de cristal,
Que em vós os debuxais ao natural,
Discorrendo da altura dos rochedos;

Silvestres montes, ásperos penedos
Compostos de concerto desigual;
Sabei que, sem licença de meu mal,
Já não podeis fazer meus olhos ledos.

E pois já me não vedes como vistes,
Não me alegrem verduras deleitosas,
Nem águas que correndo alegres vêm.

Semearei em vós lembranças tristes,
Regar-vos-ei com lágrimas saudosas,
E nascerão saudades de meu bem.


(José Amaral)

9 comentários:

T S disse...

ola
adorei seu blog
convido vc para lusitana ilusao
espero que goste
ts

Meg disse...

Caro amigo,

Sabes que só passei a gostar do Camões, já era tri-mamã?
Ainda guardo os Lusíadas cheios de apontamentos a lápis. Foi uma autêntica descoberta.
Hoje, quando encontro Camões, entrego-me sem reservas.

Um abraço

Amaral disse...

TS
Obrigado pela visita. Irei visitar o seu lusitana ilusão.
Volte sempre.

Amaral disse...

Meg
Pois eu comecei a gostar de Camões desde a primeira vez que o li. Adorei "Os Lusíadas".
A sua poesia é fantástica. Quando estagiei algumas das minhas melhores aulas assistidas (não, não temos medo da avaliação) foram sobre a obra de Ca~mões.
Abraço

Isabel-F. disse...

Um belo soneto.

Nunca li nada de Camões que não tivesse gostado ...

adorei os Lusíadas ... e ...rsss... no meu tempo tinhamos que o aprender como deve ser ... ainda hoje o tenho na cabeça ...

beijinhos e bom fim de semana

Amaral disse...

Isabel
Eu também o tive de aprender como deve ser, por isso talvez tenha gostado tanto.
Bom fim-de-semana
Bjo

A. João Soares disse...

Amaral,
No último post que coloquei no Sempre Jovens com o título «Avaliação do desempenho» cito, entre outros distintos professores que tive no Liceu, o Dr Simões Gomes que nos ensinou a compreender os Lusíadas. Decorei muitas estrofes de que ainda me recordo ligeiramente. Os sonetos são de muito humanismo e profundidade, mas os Lusíadas, mostram uma sabedoria extraordinária numa época em que a comunicação era difícil, mas não impediu um bom conhecimento da mitologia grega e romana, da história e da ciência. Camões era um sábio que fiquei a admirar muito.
Abraço
A. João Soares

Amaral disse...

João
É pena que Camões seja tão mal estudado e tão mal conhecido. Muito se tem a aprender em "Os Lusíadas", mas igualmente com os sonetos camonianos.
Bom fim-de-semana
Abraço

al cardoso disse...

Os "Lusiadas" sao uma obra prima, mas estou como o meu amigo ...."principalmente os sonetos"....!


Um abraco da amizade dalgodrense.