terça-feira, 13 de novembro de 2007

E, porque o Inverno tarda...


Recordações


Há dias assim:
Simplesmente
...melancólicos!

A chuva primaveril
apanhou-nos de surpresa.

Das copas das árvores
gotas escorrem
e brilham como cristais.

Melancolicamente vemos,
através da vidraça,
crianças a chapinhar
nas poças d’água.

Recordamos,
com saudade,
a nossa meninice.

Há dias assim:
simplesmente
...dias!


(in “Outonalidades”, José Amaral)

8 comentários:

Maria Faia disse...

É verdade. Há dias assim...
Dias em que gostaria de regressar ao passado da infância já vivida, à pureza dos sorrisos e das palavras soltas, dos sonhos e dos castelos em construção, dos sentimentos sem freio ou domação!
É verdade...
Há dias assim...
Em que, apesar de já não sermos crianças, chapinhamos na vida e gritamos a verdade de nossas almas!

Um abraço,
Maria Faia

al cardoso disse...

Segundo gente mais sabida que nos, ele (o Inverno) tarda devido aos nossos erros.
Ja quanto a nostalgia dos tempos de menino, eu sinto-a mais ainda pois sou mais velho!
Um poema lindo, parabens.

Um abraco do d'Algodres.

Isabel-F. disse...

sim ... tens toda a razão ...
há dias assim ...

lindo o poema...


bjs

Amaral disse...

Maria Faia
Bem-vinda ao meu cantinho. Fica o convite para voltar mais vezes.
Tem toda a razão apesar de não sermos crianças chapinhamos...
Abraço

Amaral disse...

Al Cardoso
Fico contente por ter gostado do poema.
Sim é verdade, o Inverno tarda por culpa dos erros do homem.
A idade é (em parte) psicológica.
Abraço

Amaral disse...

Isabel
Ainda bem que gostou, porque... há mesmo dias assim.
Bjo

Filipe Saraiva disse...

E o Inverno que tarda a chegar. A chuva que falta... Aproveitemos as "Outonalidades". "Há dias assim"... O dourado/avermelhado das folhas das árvores que anuncia um novo ciclo está aí para nos encher a alma. Abraço!

Amaral disse...

Filipe
É verdade, não chove e isso preocupa-nos...
Esperemos que o novo ciclo seja célere a chegar e que nos encha, relamente, a alma.
Abraço