segunda-feira, 16 de julho de 2007

Porque...


Porque


Porque os outros se mascaram mas tu não

Porque os outros usam a virtude

Para comprar o que não tem perdão.

Porque os outros têm medo mas tu não.


Porque os outros são os túmulos caiados

Onde germina calada a podridão.

Porque os outros se calam mas tu não.


Porque os outros se compram e se vendem

E os seus gestos dão sempre dividendo.

Porque os outros são hábeis mas tu não.


Porque os outros vão à sombra dos abrigos

E tu vais de mãos dadas com os perigos.

Porque os outros calculam mas tu não.


(in “No Tempo Dividido e Mar Novo”, Sophia Mello Breyner Andresen)

8 comentários:

north disse...

Não conhecia este teu cantinho!
Hei-de cá passar mais vezes.
Cumprimentos.

North

Isabel-F. disse...

eu adoro este poema ...

e arrepio-me sempre que o leio

bjs

Amaral disse...

North
sê bem-vindo. Também vou passar pelo(s) teu(s) e juntar aqui ao meu.
Abraço

Amaral disse...

Isabel
não só este como todos os outros da Sophia são poemas belíssimos.
Bjo

Meg disse...

Sophia... uma das nossas mais importantes poetisas.
E este é também um dos meus poemas favoritos.
Abraço

Amaral disse...

Meg
Mais importantes poetisas e não só, não esqueçamos os maravilhosos contos.
Penso que não lhe ficaria nada mal se tivesse ganho o Nobel
Abraço

Inconformist disse...

A poesia serve para isto mesmo, para nos por a reflectir e aprender a conhecermo-nos também a partir dos outros...belo poema.

Amaral disse...

Inconformist
Como sempre uma reflex\ao curta, mas acertada.