domingo, 25 de abril de 2010

liberdade!...


XXV/25



São cinco e vinte
do vinte e cinco de Abril!

Há cravos e multidões mil
que cheiram a Liberdade
e gritam vivas vermelhos
até à rouquidão da felicidade.

As pedras da calçada,
de forma admirada,
contemplam liberdades até aí
nunca imaginadas.
Os ajuntamentos são saudados,
os beijos andam à solta,
os ouvidos ganham paredes
e os soldados são vitoriados.

A neófita Revolução
está em marcha
e jamais poderá parar
assim a saiba, o País, implementar.


(in "25 de Abril/34 Anos", José Amaral)

2 comentários:

apmorgado disse...

simplesmente lindo!
Um abraço
Morgado

Amaral disse...

Morgado
Fico contente por este meu poema te te agradado.
Abraço