segunda-feira, 2 de junho de 2008

Poema

Negra

Naquela pueril
face negra
aqueles
dois olhos grandes,
brancos,
lembram
os pólos
imaculadamente pacíficos.

O sorriso,
branco,
daquela pueril
face negra
lembra
a inocência
desta criança
que sorri
à pobreza
e às armas.

(in “Outonalidades”, José Amaral)

2 comentários:

Paulo Sempre disse...

" (...)a inocência
desta criança
que sorri
à pobreza
e às armas."

É nesses sorrisos que, por vezes, estão estampados os "sinais" que identificam o "mundo" interior das crianças.
A verdade é que os adultos, apesar do dever especial de cuidado na defesa das crianças, são os primeiros a fingir que não entendem os sinais, quando não se aproveitam da inocência dos mesmos.
Há, de facto um Mundo cruel...
Abraço
Paulo

Amaral disse...

Paulo
Não poderia estar mais de acordo consigo. Sem dúvida que os adultos nem sempre tratam as crianças com a dignidade que merecem.
Boa semana
Abraço