quarta-feira, 18 de junho de 2008

Multifacetado

Francisco Buarque de Hollanda, mais conhecido como Chico Buarque nasceu no Rio de Janeiro, a 19 de Junho de 1944. É um dos mais afamados músicos, dramaturgos brasileiros. Como escritor ainda não conseguiu o estrelato. O seu livro “Budapeste” (que já li) não foi muito aclamado pela crítica, embora tenha ganho o Prémio Jabuti. A sua Ópera do malandro é conhecida mundialmente. Tive a oportunidade de vê-la, há dois anos, no Coliseu do Porto e é realmente um espectáculo fabuloso. A sua poesia também ganha força através das suas músicas. Aqui fica um exemplo:

Valsinha

Um dia ele chegou tão diferente do seu jeito de sempre chegar

Olhou-a de um jeito muito mais quente do que sempre costumava olhar
E não mal disse a vida tanto quanto seu jeito de sempre falar
E não deixou-a só num canto, pra seu grande espanto convidou-a pra rodar

Então ela se fez bonita como a muito tempo nào queria ousar
Com seu vestido decotado cheirando a guardado de tando esperar
Depois os dois deram-se os braços como há muito tempo não se usava dar
E cheios de ternura e graça foram para praça e começaram a se abraçar

E ali dançaram tanta dança que a vizinhança toda despertou
E foi tanta felicidade que toda a cidade se iluminou
E foram tantos beijos loucos, tantos gritos roucos como não se ouviam mais
Que o mundo compreendeu
E o dia amanheceu
Em paz


(José Amaral)

4 comentários:

ILDA OLIVEIRA disse...

Como é bom receber sempre visitas tuas Amaral à minha casa da Palavra...e Como é bom poder aqui chegar...entrar também em outra casa bonita da palavra, relaxar e repensar...
Bem Hajas amigo.
Até Breve

Amaral disse...

Ilda
Eu é que agradeço, pois a tua presença nesta minha casa (assim como a de todos) só me orgulha e me capacita para continuar.
Bjo

Carla disse...

que belo texto de um nome cuja obra me diz tanto
bom fim de semana
beijos

Amaral disse...

Carla
Ainda bem que gostou. Bom fim-de-semana.
Bjo