sábado, 16 de junho de 2007

Poema


O ATRO ABISMO


Quando o poeta escreveu: «… o atro abismo!»,

Umas vírgulas por ele mal dispostas,

Irritadas gritaram: «É estrabismo!»


Mas um ponto que viveu no dicionário,

De admiração caiu de costas

E abismado seguiu seu destino…


(in No Reino da Dinamarca, Alexandre O’Neill)

6 comentários:

Isabel-F. disse...

soberbo este poema.
adorei.
bj

Amaral disse...

Isabel
Eu adoro Alexandre O'Neill, ando a (re)ler a sua Obra Completa. Qualquer dia ponho um post mais completo.
Continuação de boas férias
Bjo

Margri disse...

Os trocadilhos que se podem fazer com a pontuação!
Muito interessante.

Um abraço e bom domingo.

Amaral disse...

Margri
O'Neill era mestre nessa arte.
Bom fim-de-semana
Abraço

joão oliveira disse...

Ola Amaral.
Magnifico poema de Alexandre O'Neill, que eu gostaria de conhecer melhor.
um abraço

Amaral disse...

João Oliveira
Se tiver tempo é só adquirir a "Alexandre O'Neill Poesias Completas", da Ass´rio & Alvim. Ando a reler este livro e em breve colocarei um post mais aprofundado sobre o livro e O'Neill.
Bom domingo
Abraço