sexta-feira, 29 de junho de 2007

Criar laços...


Antoine de Saint-Exupéry, filho do conde e condessa de Foscolombe, nasceu a 29 de Junho de 1900. Saint-Exupéry foi um célebre escrito, pintor. Durante a Segunda Guerra Mundial, foi piloto. Faleceu durante uma missão de reconhecimento sobre Grenoble e Annecy a 31 de Julho de 1944. Em 2004, os destroços do avião que pilotava foram encontrados a poucos quilómetros da costa de Marselha. Seu corpo jamais foi encontrado.
Das obras deste escritor a mais conhecida é Le Petit Prince (O Principezinho) que data de 1943. A princípio, aparentando ser um livro para crianças, tem um grande teor poético e filosófico. É o livro francês mais vendido no mundo, cerca de 80 milhões de exemplares, e entre 400 a 500 edições.
Já tive a oportunidade de ler e reler esta obra, tanto no original como traduzida, e de cada vez que a li fiz novas descobertas. Para partilhar com os leitores do AD LITTERAM aqui fica um pedacinho desta magnífica obra:

«-Je suis là, dit la voix, sous le pommier.
-Qui es-tu? dit le petit prince. Tu es bien joli…
-Je suis un renard, dit le renard.
-Viens jouer avec moi, lui proposa le petit prince. Je suis tellement triste…
-Je ne puis pas jouer avec toi, dit le renard. Je ne suis pas apprivoisé
-Ah! Pardon, fit le petit prince.
Mais après réflexion, il ajouta :
-Qu'est-ce que signifie "apprivoiser"?
-Tu n'es pas d'ici, dit le renard, que cherches-tu?
-Je cherche les hommes, dit le petit prince.Qu'est-ce que signifie "apprivoiser"?
-Les hommes, dit le renard, ils ont des fusils et ils chassent. C'est bien gênant! Il élèvent aussi des poules. C'est leur seul intérêt. Tu cherches des poules?»

(in Le Petit Prince, cap. XXI, Saint-Exupéry)



(José Amaral)

10 comentários:

Vladimir disse...

se alguém tivesse dúvidas sobre o conteúdo poético e filosófico da obra, só com a leitura deste breve trecho elas ficariam dissipadas....

Amaral disse...

Vladimir
sem qualquer dúvida isso é verdade. Uma obra belíssima e que merece ser lida e divulgada.
Abraço

peciscas disse...

Olá colega!
O Princepezinho é uma das obras que pertence ao meu imaginário permanente.

Amaral disse...

Peciscas
penso que pertence ao imaginário de todos aqueles que leram esta bela obra.

Paulo Sempre disse...

"O Princepezinho", ouvi falar. Não quero que o meu imaginário fique "despovoado" ou/e imcompleto.
Abraço
Paulo

Amaral disse...

Paulo
Não ficará de certeza. Ficará, isso sim, mais preenchido. Se não leu aproveite e verá que não se arrepende.
Bom fim-de-semana
Abraço

Isabel-F. disse...

quem não deixou de se deliciar com a leitura deste livro?....

em tempos fiz um Post no meu Blog, precisamente com esta passagemd e texto aqui exposta e dediquei-o aos amigos da Blogosfera .... a diferença foi que coloquei o texto duma tradução em português.

bjs

Amaral disse...

Isabel
Quem não se deixou deliciar... este livro é mesmo uma delícia.
A passagem foi mera coincidência.
Boa semana.
Bjo

A. João Soares disse...

É realmente maravilhoso colocar na boca de uma criança curiosa uma crítica profunda aos comportamentos humanos. Um autor extraordinário que nos deixou um livro que nunca será esquecido.
«Chercher des poules» tem algo a ver com a frase «chercher la femme». Uma é objectivo da actividade outra é a mola do agir, a inspiração que impulsiona para a frente. Para admirar, apreciar, respeitar alguém, convém conhecer os seus objectivos, os seus propósitos... as suas «poules».
Quando pensamos nas «poules» dos publicitários, de quem nos telefona para nos propor o enriquecimento, verificamos que os seus objectivos nada têm a ver com o nosso bem e, com tal pensamento, evitamos ser enganados.
Abraço

Amaral disse...

João Soares
Concordo consigo.
Abraço