quinta-feira, 12 de março de 2009

Leitura grotesca

Levado pela curiosidade, e uma certa publicidade, comprei o livro que hoje sugiro.
Trata-se de um livro de Tom Baker, O Rapaz Que Chutava Porcos (editorial teorema, 129 páginas). A capa apresenta esta obra como sendo “uma obra-prima do grotesco”. E é-o de facto, quer a escrita quer as ilustrações. Não sendo, de todo, o meu género de Literatura não desgostei, mas é uma leitura “bizarra”.
Chutar porcos é talvez a mais simples e pequena das bizarras acções de Robert Caligari, a personagem central deste livro, que se prepara para enfrentar o destino. Na contracapa podemos ler:
“Robert Caligari é um puto de treze anos, absolutamente diabólico, cujo maior prazer consiste em chutar porcos. Depois de um humilhante episódio, que o leitor identificará surpreendido, Robert percebe até que ponto detesta a raça humana. A sua vingança vai ser verdadeiramente terrível.”
A história inicia-se com a afirmação de que aquele é o dia em que a personagem principal vai morrer, e o que inicialmente pode parecer pouco estimulante devido à sua previsibilidade, vai-se transformando no decorrer do texto no alvo de todas as curiosidades. Pensamentos macabros, acções grotescas e frases cheias de humor negro, são os ingredientes principais. A personagem morre, tal como foi afirmado no início do livro, e a sua medonha e criativa morte constitui o último pico da história
O livro de tão pequeno lê-se num fôlego.

(José Amaral)

4 comentários:

Isabel-F. disse...

por vezes tb leio temas que possa não apreciar muito ....


bjs e bfds

Amaral disse...

Isabel
Este foi mesmo por curiosidade. Bom fim-de-semana
bjo

Meg disse...

Caro Amaral,
Definitivamente não é o tipo de leitura que mais me agrada neste tempos, mas, se me passar debaixo dos ohos - às vezes acontece - não deixarei de dar uma olhadela.
De qualquer forma são sempre de agradecer estas tuas sugestões.

Um abraço

Amaral disse...

Meg
Também não me agrada muito, mas reconheço mérito a quem escreveu este livro.
É grotesco.
Bom fim-de-semana
Abraço