sexta-feira, 12 de dezembro de 2008

Tempo de Amor

(Imagem retirada da Internet)

E porque o Natal se aproxima… e porque é tempo de partilha… e porque é tempo de reflexão… aqui fica um belíssimo poema de Natália Correia

FALAVAM-ME DE AMOR


Quando um ramo de doze badaladas
se espalhava nos móveis e tu vinhas
solstício de mel pelas escadas
de um sentimento com nozes e com pinhas,

menino eras de lenha e crepitavas
porque do fogo o nome antigo tinhas
e em sua eternidade colocavas
o que a infância pedia às andorinhas.
Depois nas folhas secas te envolvias
de trezentos e muitos lerdos dias
e eras um sol na sombra flagelado.
O fel que por nós bebes te liberta
e no manso natal que te conserta
só tu ficaste a ti acostumado.

(José Amaral)

13 comentários:

A. João Soares disse...

José Amaral,
Um Santo e Feliz Natal para o amigo e para os seus familiares e amigos.
Abraço
João

Morgado disse...

Belo poema José Joaquim.
Só é pena que o Natal ainda nao seja para toda a gente deste planeta...

www.morgadoart.com

Delfim Peixoto disse...

Lindissimo! Apetece musicar!
Abraço

Fragmentos Intemporais disse...

Natal, uma época que desvenda o mais humano que há em cada um de nós!

Viseu... já fui muito feliz aí (quase vizinho) ;-)

Fragmentos Intemporais disse...

P.S. Também gostei da sonoridade que envolve o seu cantinho!

as-nunes disse...

Caro amigo
Há que tempos que noto a sua presença a comentar alguns dos blogues que vou visitando!
Nunca me ocorreu que fosse ou vivesse em Viseu, a minha terra Natal. Nasci na freguesia de Ribafeita, mas vivi dos 8 aos 16 anos na cidade.
Frequentei a Escola Secundária Emídio Navarro, penso que ainda se chama assim. Guardo desses tempos suaves recordações. Parece-me a mim que muito mais amenas que as dos tempos modernos. Apesar de tudo...
Às tantas o José Joaquim até é lá professor.
pode ser que nos venhamos a conhecer um dia destes aí por Viseu. os meus pais ainda vivem na nossa aldeia e tenho um irmão, também professor e Economista, que é prof. em Tondela.
Um abraço e Feliz Natal.
Se lhe aprouver, a propósito d presépio e do Natal vá aqui (http://aavozaida.blogspot.com)
António Nunes

Meg disse...

Amigo Amaral,
E o Natal está aí...
Por isso este belo poema da Natália Correia que desconhecia.
Mas se é uma época de alegria, não deixa de nos transmitir uma dose de tristeza pelo que se passa à nossa volta. Natal, "isto"? esta sociedade? Duvido.

Um bom Natal para si.

Um abraço

Amaral disse...

João
Para si e para os seus votos de um Santo e Feliz Natal.
Abraço

Amaral disse...

Morgado
Infelizmente isso é verdade. O Natal não é para todos.
Abraço

Amaral disse...

Delfim
É sem dúvida um poema melodioso.
Abraço

Amaral disse...

Bem-vinda
ao meu blog. Obrigado pelos elogios.
Abraço

Amaral disse...

António
Seja bem-vindo ao meu vantinho. Obrigado pela visita.
Por acaso este ano estou em Sernancelhe. Quem sabe não venhamos a conhecer-nos aqui por terras de viriato.
Abraço

Amaral disse...

Meg
Este poema é sem dúvida lindíssimo. Infelizmente a sociedade desvirtua os valores.
Abraço