quarta-feira, 14 de janeiro de 2009

Escrever um livro, Criar um filho, Plantar uma árvore

(Imagem Retirada da Internet)

Escrevi um livro.
Quantos anos a sonhá-lo,
A rascunhá-lo nas mesas dos cafés,
A escrevê-lo nos intervalos do emprego,
A vivê-lo,
A sofrê-lo,
Na província, nas cidades...!

Criei um filho.
Tanta alegria no meu coração!

Só ainda não plantei uma árvore.
O frágil caule como protegê-lo?
Como não deixar que os bichos
Maculem as pequeninas folhas?
E como dialogar com uma árvore-menina?

Agora vai sendo tempo.
Os anos já me pesam.
Amanhã vou plantar uma árvore.


(Saúl Dias, "Essência")

10 comentários:

Delfim Peixoto disse...

Lindo! Como sempre para pensar!
Abraço, Poeta

Amaral disse...

Delfim
Realmente faz-nos pensar. Abraço poético

A. João Soares disse...

Um bom aproveitamento de uma lição antiga. Curiosamente seguiu o percurso inverso ao mais natural para alguém que tenha nascido em contacto com a Natureza.
Vale a pena pensar nas razões que estarão por trás do fenómeno da forte edição de livros nos tempos mais recentes, quando se dizia que somos um povo pouco dado à leitura.
Um abraço
João

Amaral disse...

João
Por acaso é um bom motivo para um "study case". Mesmo assim acho que se lê pouco.
Bom fim-de-semana
Abraço

Delfim Peixoto disse...

Então, só te falta plantares um árvore... ;)

Isabel disse...

lindo ... como sempre ....

nunca escrevi um livro ....

mas já escrevi algumas coisas (sem jeito nenhum .... mas escrevi) ...

e já plantei várias árvores...

e criei (e acho que continuarei a criar para todo sempre ...) com muito orgulho ... uma filha ...


beijinhos

Isabel-F. disse...

desculpa ...
só para dizer que o comentário anterior é meu ...

Amaral disse...

Delfim
Por acaso já plantei muitas, muitas mesmo.
Bom fim-de-semana
Abraço

Amaral disse...

Isabel
Bem-vinda ao meu cantinho. Isso de achar que escreveu umas coisas sem jeito quer-me parecer que é modéstia- Será?
Obrigado e bom fim-de-semana
Bjo

Deusa Odoyá disse...

Olá amigo!
Um lindo texto.
Como ainda não plantou, se hás tem no coração.
Parabéns, pois escreves com a alma de um sensivel escritor.

beijinhos doce.
sua amiga.
Regina Coeli.